Sistemas de Informação em Saúde

  1. Qual o poder da Informação?
    • A informação é poder quando informa aquilo que é importante para quem está de fato decidindo, quando instrumentaliza, ou escamoteia e/ou justifica as não decisões, no sentido do avanço ou manutenção dos interesses hegemônicos em uma dada conjuntura.
    • (Moraes, 1995)
  2. A informação e gestão em saúde:
    A informação e gestão em saúde começa pela Situação de saúde, avaliação, dados, informação, decisão e ação. Depois o ciclo recomeça.
  3. O processo de trabalho em saúde
    O processo de trabalho em saúde envolve a situação de saúde e ações, objetivos, recursos e resultados. Tudo a fim de garantir eficiência, eficácia e efetividade.
  4. Indicadores de Eficiência na Informação e Gestão em Saúde:
    Recursos; produtividade; utilização da capacidade instalada; utilização da capacidade operacional; distribuição dos gastos por tipo de atenção;
  5. Indicadores de eficácia na Informação e Gestão em Saúde:
    Cobertura alcançada através das ações produzidas; concentração de procedimentos; resolutividade;
  6. Indicadores de Efetividade em Informação e Gestão em Saúde:
    Epidemiológicos (mortalidade, morbidade e fatores de risco); demográficos; socioeconômicos
  7. Construção de Indicadores em Informação e Gestão em Saúde:
    • • Tecnicamente sustentáveis (Estrutura, Processo e Resultados);
    • • Definição a partir de critérios próprios a cada instância (em função da sua missão);
    • • Definição a partir de prioridades pré-definidas;
    • • Periodicidade em função de critérios técnicos e políticos.
  8. Processo Avaliativo em Informação e Gestão em Saúde:
    • • Deve ser um processo contínuo (sistemático);
    • • Não é suficiente para estabelecer políticas (é útil);
    • • É fonte de poder;
    • • A informação extraída deve ser considerada como ferramenta de negociação, e não como verdade absoluta;
    • • A definição dos indicadores deve ser feita com rigor e crítica;
    • • Os indicadores devem ser constantemente revistos e readequados
  9. Níveis de organização do espaço da gestão interfederativa do SUS e respectivas competências:
    • - Compete à CIR (Comissão Intergestores Regional) na organização da saúde em âmbito regional (município): Organizar e planejar ações e serviços de saúde de acordo com as necessidades de saúde da população. 
    • - Compete à CIB (Comissão Intergestores Bipartite), em âmbito estadual: Consensuar a implementação da Política Estadual de Saúde, de modo regionalizada. 
    • - Compete à CIT (Comissão Intergestores Tripartite), no nível da União ou interestadual: Definir diretrizes nacionais para a Política de Saúde no País.
  10. Níveis de Utilização da Informação em Informação e Gestão em Saúde:
    Conforme a complexidade, os níveis são:

    • Técnico (Operacional):
    • • atividades de rotina
    • • exigem pouca capacidade de decisão
    • • podem ser automatizadas com
    • facilidade.

    • Gerencial (Tática):
    • • atividades típicas de supervisão
    • • requerem capacidade de decisão local • exigem informação gerencial.

    • Político (Estratégica):
    • • Macro-decisões
    • • requerem capacidade de decisão Global
    • • exigem informação estratégica.
  11. A Organização Mundial de Saúde (OMS) define Sistema de Informação em Saúde (SIS):
    “ ….. é um conjunto de componentes que atuam de forma integrada por meio de mecanismos de coleta, processamento, análise e transmissão da informação necessária e oportuna para implementar processos de decisões no Sistema de Saúde."
  12. Objetivos dos SIS:
    Seus propósitos são de selecionar os dados de saúde e transformá-los em informações para aqueles que planejam, financiam, provêm e avaliam os serviços de saúde (OMS, 1981:42).
  13. O que é Sistema de informação?
    É o processo de produção de informação e sua comunicação a atores, possibilitando sua análise com vistas à geração de conhecimentos.
  14. O que é Banco de dados?
    É um dos principais componentes do sistema, sendo um agrupamento organizado de dados que pode ser utilizado por vários sistemas.
  15. Qual a Importância dos Sistemas?
    • * Carência de informações.
    • * Necessidade crescente de otimizar os recursos.
    • * Planejamento e ação baseado em evidências. 
    • *Monitoramento e Avaliação das ações e serviços.
  16. Qual a importância de se conhecer os passos de cada uma das etapas de um Sistema de Informações?
    Conhecer os passos de cada uma das etapas de um Sistema de Informações pode garantir a fidedignidade das bases de dados, a permanência e a plena utilização das mesmas.
  17. Quais são os passos das etapas de um Sistema de Informações?
    • 1. Coleta de dados
    • 2. Processamento
    • 3. Análise
    • 4.Transmissão da informação
  18. O que compete a cada etapa de um Sistema de Informações?
    É uma etapa cíclica que começa com:

    • Coleta: origem e registros dos dados, ordenamento dos documentos da coleta, controle da quantidade e do conteúdo, transmissão. 
    • Processamento: Recebimento e controle (avaliação), pedido de informação adicional, codificação, digitação e crítica, classificação e tabulação, controle de erros e inconsistências, cálculos básicos, apresentação. 
    • Decisão e controle: Análise preliminar dos dados, comparação com parâmetros, identificação e análise das discrepâncias, opções de decisão.
  19. Qual a concepção de SISTEMAS DE INFORMAÇÃO EM SAÚDE?
    Todos os sistemas de informação em saúde dos estados e municípiosse integram aos sistemas nacionais correspondentes, alimentando seus bancos de dados e utilizando formulários padronizados de registro que cobrem todos os serviços públicos de saúde.
  20. SIS nacionais:
    • SIM - Sistema de Informação sobre mortalidade;
    • SINASC - Sistema de Informação sobre Nascidos Vivos;
    • SINAN - Sistema de Informação de Agravos de Notificação;
    • SAI/SUS - SI Hospitalar;
    • HIPERDIA - SI sobre Hanseníase e Diabetes Mellitus;
    • SIAB - SI da Atenção Básica;
    • SISVAN - SI de Vigilância Alimentar e Nutricional;
    • SISPRENATAL - SI de acompanhamento de gestantes.
  21. Qual o cenário atual do SIS?
    • • Produz fragmentação da realidade.
    • • Centralização dos Sistemas;
    • • Produção de dados descolada do processo decisório;
    • • Produção não atende às necessidades sociais.
  22. Quais os principais desafios do SIS?
    • • Complexidade dos dados existentes e da estrutura dos bancos;
    • • Falta de padronização nos procedimentos de obtenção, análise e disseminação das informações;
    • • Ausência de um claro interesse epidemiológico quando da implantação dos bancos de dados;
    • • Precário conhecimento dos técnicos sobre a grande diversidade de bancos de nacionais, estaduais e municipais;
    • • Tendência a multiplicar e sobrepor indicadores;
    • • Sub-utilização dos dados pelas equipes de saúde (gestão e assistência): reflexos no sub-registro;
    • • Os dados demoram a retornar para o nível local de modo a permitir a melhor tomada de decisão.
    • • Inexistência de instâncias responsáveis pela análise dos dados;
    • • Disparidades regionais: oportunidade, qualidade e cobertura das informações variando de acordo com as áreas geográficas onde são produzidas;
    • • Insuficiência de recursos, particularmente recursos humanos qualificados para apoiar o processo de desenvolvimento e análise do SIS.
  23. Quais têm sido as estratégias para superação dos problemas do SIS?
    • Segundo o Registro Eletrônico em Saúde, tem sido:
    • • melhorar a qualidade e eficiência dos processos
    • • eliminar os instrumentos paralelos de coleta relativos ao evento em saúde
    • • integrar os sistemas de informação em saúde
    • • alimentar automaticamente a cadeia de informações
    • • atender as necessidades de gestão, prática profissional, controle social e geração de conhecimento sobre a situação de saúde.
  24. Conforme a Política Nacional de Informação e Informática, quais são as perspectivas do SIS?
    “Promover o uso inovador, criativo e transformador da tecnologia da informação, para melhorar os processos de trabalho em saúde, resultando em um Sistema Nacional de Informações articulado, que produza informações para os cidadão, a gestão, a prática profissional, a geração de conhecimento e o controle social, garantindo ganhos de eficiência e qualidade mensuráveis através da ampliação de acesso, equidade, integralidade e humanização dos serviços e, assim, contribuindo para a melhoria da situação de saúde da população.”
Author
Melina
ID
347461
Card Set
Sistemas de Informação em Saúde
Description
Saúde Coletiva
Updated